Geral, Gestão, Logística

Você já ouviu falar de SCM (Supply Chain Management)?

CorrenteSCM (Supply Chain Management, ou em português Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos) é um termo utilizado em Logística para descrever todo o processo que possibilita a uma empresa (industrializada ou não) controlar seu fluxo de materiais e informações, desde o(s) fornecedor(es) até o(s) consumidor(es) final(is). Neste fluxo, também deve ser considerada a Logística Reversa que trata de tudo que acontece com o produto no pós venda, como devoluções, reciclagem e outros.  No sentido que há muitas variáveis envolvidas nessa definição, vamos tentar neste artigo dar uma breve introdução ao assunto: 1. Localização geográfica da empresa – Este deve ser um objeto de estudos profundo, pois afeta todos os custos relacionados a transportes (tipo de modal, condições e facilidades dos meios utilizados), carga tributária (ICMS/ISS) e outros incentivos governamentais. Devem ser consideradas também, as localizações dos principais clientes e fornecedores, sempre que possível. 2. Movimentação física dos materiais – Relacionado ao primeiro item, pois engloba o fluxo dos materiais dos fornecedores para a empresa, da empresa para os clientes e o próprio fluxo interno (armazenagem, beneficiamento, embalagem, expedição, etc). A movimentação dos materiais deve ser planejada para garantir agilidade e qualidade, tanto para os clientes internos (outros departamentos da empresa) quanto para o consumidor final. 3. Gestão de estoques – Uma boa gestão de estoques permitirá à empresa realizar compras no momento certo, manter um nível de estoque adequado (para não investir capital desnecessariamente), mitigar os riscos de encalhe de mercadorias e obsolescência, além de garantir um abastecimento sem falhas aos seus clientes (o famoso stockout). Essa gestão adequada trará maior competitividade à empresa, pois estas ações descritas acima normalmente vêm acompanhadas de redução de custos. Entre os elementos a serem considerados vamos mencionar o lead time (o tempo necessário desde o pedido feito até o produto chegar ao estoque), o custo do pedido e a previsão da demanda para o produto. 4. Armazenamento, separação e expedição de Pedidos – Uma adequada arrumação/organização nos estoques (palletização, endereçamento, sinalização, etc) facilitará a separação (picking) das mercadorias e consequentemente a expedição dos mesmos. Agilidade, redução de erros e de custos são alguns dos benefícios alcançados dentro do armazém ou CD (Centro de Distribuição). 5. Transporte – O transporte dos materiais deve ser feito pelos modais mais adequados e deve respeitar as regras básicas (materiais inflamáveis, perecíveis, frágeis, etc). Isto envolve custos elevados (especialmente no Brasil, onde a falta de infraestrutura adequada dificulta muito as operações) e a perfeita adequação trará enormes benefícios para a empresa, não somente financeiros, mas de agilidade nas entregas, assim como a qualidade do produto na chegada ao consumidor final. 6. Fluxo de Informações – Existem no mercado vários sistemas integrados de controle das informações. Já falamos anteriormente dos ERP’s, mas há também os WMS (Wharehouse Management System) e os TMS (Transport Management System). Os WMS são sistemas gerenciadores de armazéns, já os TMS são gerenciadores de transporte, comumente utilizados por operadores logísticos. É fundamental que o fluxo de informações siga o fluxo dos materiais. Por exemplo, o controle do estoque físico deve ser acompanhando pelo sistema na entrada e na saída dos produtos. Esses sistemas também são utilizados para gerenciar as compras (através de definição de estoque mínimo, estoque máximo, ponto de pedido, lead time, etc.), entre outras atividades. 7. Interdependência entre os setores – É fundamental compreender que as áreas de uma empresa devem interagir constantemente para que haja um perfeito Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Como exemplo, podemos mencionar a área Comercial demandando pedidos para a área de Logística, que deverá providenciar as compras, gerenciar os estoques e entregar ao consumidor final. A área Financeira gerencia os custos, calcula as margens de cada produto, preços de venda e o fluxo de caixa para manter a operação ativa. Enfim, a comunicação é fundamental para que todo o processo flua bem no ambiente empresarial. Portanto, para criar um bom SCM, a empresa precisa entender todo o meio ambiente à sua volta, a localização de seus principais clientes e fornecedores, como a mercadoria vai chegar na empresa e dela para o consumidor final (modais de transporte), além de controlar o seu estoque para garantir confiabilidade na entrega. A Priority Partners, através de sua profunda experiência em Gestão Empresarial e Logística, pode ajudar a sua empresa no SCM e obter importantes vantagens competitivas. Fica a dica e bons negócios!!

Author


Avatar